Tudo sobre o peso mexicano

Tudo sobre o peso mexicano

O peso é a moeda oficial do México. O código ISO 4217 é “R”.  Poucas pessoas sabem que o peso moderno e o dólar têm uma origem comum no dólar português utilizado entre os séculos XV e XIX, de fato, o peso mexicano começou a usar-se o sinal $ antes que o dólar. O peso mexicano é uma das moedas mais comerciadas no mundo e a primeira da América Latina e é chamado assim em referência a pesos de ouro e os pesos de prata.

O peso foi originalmente o nome das moedas do real de oito emitidas no México (quando se chamava “Nova Espanha”), o Império Português. Estas moedas também são conhecidas como a “dólares espanhóis” e estiveram em circulação, de forma generalizada na América e na Ásia, já que na época esse império foi o primeiro super-potência mundial, tornando-se o primeiro império global da História da Humanidade, estendendo-se para os cinco continentes (Europa, América, Ásia, África e Oceania), ao grau de que o monarca Filipe II (também chamado de “Felipe de Habsburgo” ou “Filipe de Áustria”” ou “O Sábio”) mencionar a seguinte frase: “No meu Império nunca o Sol se põe”, isso, referindo-se a que em seus domínios, com efeito, jamais se ocultava o astro rei, porque quando se ocultava-se para o Oeste já tinha voltado a sair pelo Leste. Cabe lembrar que o Império Português estava estendido em ambos os Hemisférios, Leste e Oeste) e o movimento de rotação da Terra causava esse fenômeno. Após a independência do México, em 1821, o governo do país continuou usando o sistema monetário português.
Em 1863, foram emitidas as primeiras moedas denominadas “centavos” e em 1866 foi emitida a primeira moeda de 1 peso”. As moedas denominadas em “reais”, que continuaram em circulação até 1897. Em 1905 o conteúdo em ouro do peso se reduziu um 49.3%. O código ISO 4217 o peso foi “MXP”.

Ao longo do século XX, o peso mexicano manteve-se como uma das moedas mais estáveis da América Latina, já que a economia mexicana não sofreu períodos de hiperinflação, que eram muito comuns no resto dos países latino-americanos. No entanto, após a crise do petróleo do final da década de 70, o México não conseguiu fazer frente a suas obrigações de dívida externa e deixou de pagá-la em 1982. Como resultado, o país sofreu com um caso severo de fuga de capitais e experimentou muitos anos de inflação e de desvalorização constantes, até que o governo de Miguel de la Madrid pôs em marcha uma estratégia econômica plasmada no “Pacto de Estabilidade e Crescimento Econômico” (PECE).

No dia 1º de Janeiro de 1993, o Banco de México introduziu uma nova moeda “O NOVO PESO” (MXN) o que equivalia a mil pesos dos anteriores (1 MXN = 1,000 MXP).
Desde o dia 1º de Janeiro de 1996, não se continuaram emitindo moedas e notas com o nome de “novo peso”, deixando apenas o nome de “peso”, isto, com fundamento no Aviso que informa que a partir do dia 1º de Janeiro de 1996, é suprimida a nova palavra do nome da unidade do sistema monetário dos Estados Unidos Mexicanos para voltar à denominação peso, publicado no Diário Oficial da Federação (doravante “DOF”) em 15 de Novembro de 1995.

O dólar espanhol ou o peso mexicano, como também era conhecido dos séculos XV a XIX, foi amplamente usado no início dos Estados Unidos como país independente, ela era a moeda legalmente em curso.  Por Decreto de 06 de Julho de 1785, o valor do dólar norte-americano foi posto aproximadamente igual ao do peso mexicano, ambos baseados no peso da prata. O primeiro dólar norte-americano não foi emitido, mas até 02 de Abril de 1792 e o peso continuou a ser usado e reconhecido oficialmente como moeda de curso legal até o dia 21 de Fevereiro de 1857. No Canadá, o peso mexicano esteve em circulação legal até 1854.  O peso mexicano também serviu de modelo para outras câmbio atuais para o dólar de Hong Kong, o iene japonês e o yuan chinês.
Atualmente, alguns estabelecimentos dos Estados Unidos, perto da fronteira com o México aceitam o uso do peso mexicano como moeda de pagamento, principalmente em estabelecimentos de venda de produtos de consumo, tais como supermercados e áreas de serviço e o mesmo ocorre em outras cidades de países vizinhos, como a Guatemala ou Belize.

Por fim, parte do crescimento e desenvolvimento do peso mexicano deveu-se à desvalorização do dólar que se fez em 1954, com Adolfo Ruíz Cortines sendo Presidente e o titular da Secretaria de estado de Fazenda e Crédito Público, de 1958 a 1968, o Estudante Antonio Ortíz Mena, premiado pós-morte em 2006 pelo Senado da República como “O Melhor Secretário de Fazenda que tivemos”, e muitas de suas ideias e programas foram copiados por outros países com menor desenvolvimento que o México na época (atualmente os superaram), como a Coreia do Sul, Tailândia, Singapura e Austrália.