SWAP Cambial: entenda o que é e como pode afetar sua viagem

SWAP Cambial: entenda o que é e como pode afetar sua viagem

Viajar é sempre bom, concorda? Muitos veem a prática não como uma simples despesa, mas sim como um investimento pessoal. Isso porque o fato de conhecer um lugar novo, uma cultura inusitada, pessoas e hábitos diferentes abre a mente e amplia a visão de mundo. Mas como nem tudo são flores, toda viagem tem um custo e esse valor pode estar sujeito a alguns fatores do mercado, como o SWAP cambial.

Mas afinal, o que é SWAP cambial?

Para entender melhor, pense no atual cenário econômico do Brasil. Há muita incerteza pairando sobre todos, correto? Agora, imagine o que passa pela cabeça de um investidor, considerando que os investimentos no país apresentam riscos tão altos.

Bom, a tendência é que ele e outros busquem mercados alternativos, o que demandará a troca da moeda brasileira por dólares. Resultado: mais dólar e menos real em circulação. E sempre que a demanda por um determinado produto cresce, o preço costuma subir, correto? Assim acontece com o dólar. Não é a toa que nos últimos tempos, pudemos observar as maiores taxas do mercado para adquirir a moeda estadunidense. Por isso, é sempre bom acompanhar a variação dessa moeda, um serviço que oferecemos gratuitamente no nosso site. Segue links rápidos para acompanhar cada moeda individualmente: dólar, euro, libra, canadense, australiano, neozelandês, iene, yuan, peso argentino, chilenocolombiano, mexicano, uruguaio, coroa dinamarquesa, norueguesa, sueca, franco suíço, novo sol peruano, shekel israelense, rublo russo, rand e dirham.

Então, o SWAP cambial seria o valor que o Banco Central do Brasil se compromete a pagar aos investidores, relativo ao diferencial da moeda, que vem se desvalorizando a uma velocidade muito rápida. Essa quantia seria cabível tanto para mais quanto para menos. Além disso, ela é acrescida de uma taxa de juros efetiva e, em troca dessa espécie de “seguro”, o investidor paga para o banco o valor da taxa Selic corrente. Assim, ele se sentem protegidos e tende a procurar menos pelo dólar, o que faz com que a moeda não suba tanto assim.

Quais são as consequências desse processo?

Pense na reserva cambial do Brasil. Quanto mais SWAPS, maior parte dela estará comprometida com contratos. A dívida bruta do país também tende a crescer, já que o SWAP pode ser considerado um passivo.

Mesmo que a longo prazo os riscos sejam aumentados, não há como negar que pelo menos a curto prazo, o capital fica protegido, já que todas as transações são feitas em reais até o vencimento do contrato.

E como isso afeta minha vida?

Desde a hora do café da manhã, você sofre as ações do SWAP. Quer saber como? O pãozinho francês, por exemplo, é derivado de um produto importado: o trigo.

Quando você vai viajar para o exterior então, nem se fala! Com os acontecimentos políticos que tivemos nos últimos tempos, o dólar só não subiu ainda mais por conta dos SWAPS (se lembra que eles conseguem conter periodicamente as alterações cambiais?).

Porém, além de corrermos o risco de surgirem novas delações, as reformas propostas para equilibrar as contas públicas provavelmente não serão aprovadas tão cedo.

A tendência, entretanto, assim que o cenário político se estabilizar, é que a taxa do dólar também se estabilize em um patamar mais baixo. Portanto, caso os seus planos de viagem não tenham data certa para acontecer, talvez valha a pena esperar um pouco.

E então, ficou claro o que é SWAP cambial? Não se esqueça de nos seguir no Facebook, no Twitter e no Instagram!