Saiba tudo sobre as tarifas alfandegárias em viagens internacionais

Saiba tudo sobre as tarifas alfandegárias em viagens internacionais

Viajar para fora, principalmente para os Estados Unidos, é uma verdadeira tentação para quem é apaixonado por umas comprinhas. Por lá, mesmo com o dólar um pouco mais alto, ainda vale muito a pena adquirir equipamentos eletrônicos, celulares, perfumes, roupas e muito mais.

Mas, antes de voltar com a mala recheada de compras, é preciso ter certa atenção. Além de pagar por excesso de bagagem (que pode doer no bolso), você pode ser tributado sobre alguns produtos na hora de chegar na alfândega – especialmente os eletrônicos.

Quer chegar no aeroporto de sua cidade bem tranquilo e sem medo de ser tributado? Então acompanhe o post de hoje e siga nossas dicas:

Existe uma cota de valor?

Sim, existe. Qualquer pessoa que voltar dos Estados Unidos, independente de sexo ou idade, pode trazer compras no valor máximo de U$500. Se você não comprou nada que ultrapasse esse valor, fique tranquilo, você não será taxado.

Agora, se suas compras ultrapassaram este limite, esteja preparado. Você deverá pagar 50% a mais do valor que foi extrapolado. Pra entender melhor veja o exemplo:

Você gastou U$700,00 em eletrônicos. Destes, U$200 estão acima da cota. Logo, você deverá pagar a multa de U$100. No entanto, se você fizer como manda o script e declarar estes bens, acaba pagando somente 25% do valor excedente. É mais jogo, não é?

O que está isento de tributo na alfândega? 

Tudo que foi de uso pessoal durante a viagem não precisa ser declarado. Por exemplo, se você for para Miami sem uma câmera fotográfica e comprar uma por lá para registrar seu passeio, ela será de uso pessoal. O mesmo vale para celulares e relógios. Já computadores e iPads serão tributados mesmo que usados por lá.

bidollar_banner_728x90_moedas

Mas fique atento

É comum as pessoas pensarem que as roupas também são itens de uso pessoal e trazerem malas e malas abarrotadas com itens de vestuário dos Estados Unidos. A verdade é que, se o fiscal desconfiar que você comprou tudo isso por lá, pode exigir que você abra suas malas e pague os impostos pela quantidade comprada.

Sendo assim, a dica é: vá com moderação. E além das roupas, existem outros produtos que não podem ser trazidos em tanta quantidade. Veja:

  •  20 unidades de produtos acima de US$10.00 (sem que haja 3 unidades iguais, como bonés, acessórios, camisetas, calças, etc);
  • 20 unidades de produtos abaixo de US$10.00 (tendo no máximo 10 iguais);
  • 12 litros de bebidas alcoólicas;
  • 10 maços de cigarro;
  • 25 charutos ou cigarrilhas;
  • 250 gramas de fumo no total;

Dica extra:

Declare tudo! Na ida, se estiver levando eletrônicos (remédios, equipamentos diversos ou até mesmo animais), faça a declaração para que não haja confusão na volta. O mesmo vale para o que foi comprado lá.

Mas o ideal mesmo, para que você não tenha que passar por nenhum tipo de estresse no aeroporto (seja financeiro, seja pessoal) é que você respeite todas as regras e cotas alfandegárias.

Se ficou alguma coisa pra trás, não tem problema. Assim fica mais um motivo para voltar aos Estados Unidos o quanto antes!

Ah, e para ajudar na hora das compras, garanta o câmbio de dólar mais baixo do mercado. Conte com o Bidollar