Qual forma de pagamento utilizar em uma viagem internacional?

Qual forma de pagamento utilizar em uma viagem internacional?

Muitos viajantes têm dúvidas quando o assunto é a utilização de dinheiro no exterior. É comum querer saber, por exemplo, qual forma de pagamento em viagem internacional oferece as melhores vantagens e maior economia.

E não é para menos, já que esse fator interfere diretamente no planejamento financeiro de uma viagem. No entanto, vale lembrar que não existe apenas um tipo de pagamento vantajoso. Os benefícios vão depender do seu perfil e da duração da estadia fora.

No post de hoje, vamos explicar o que você deve levar em consideração antes de escolher como levar dinheiro na sua viagem para o exterior. Confira a seguir:

Dinheiro em espécie

Levar dinheiro é, sem dúvidas, a forma mais econômica para utilizar no exterior. Isso porque o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é bem mais em conta quando comparado com as demais modalidades — apenas 1,1% contra 6,38%.

No entanto, você ainda vai precisar pagar a taxa para a casa de câmbio ao efetuar a compra da moeda estrangeira. Fique atento ao spread cambial, ou seja, a diferença entre o preço de oferta e de compra da moeda.

Outra vantagem dessa modalidade é a utilização em cidades do interior, que muitas vezes não possuem estrutura adequada para receber turistas. É possível que alguns estabelecimentos não contem com máquinas de cartão, só sendo possível o pagamento em dinheiro.

Por outro lado, há o risco de perda ou furto do dinheiro. Para evitar este tipo de problema, o ideal é dividir o dinheiro em vários locais e nunca andar com 100% do valor na rua. Também é recomendável investir em pelo menos um tipo de cartão, para o caso de emergência.

Cartão de crédito e débito internacional

O que melhor define o uso de cartão de crédito e débito no exterior é a segurança, pois eles podem ser cancelados em caso de perda ou roubo. Além disso, utilizar o cartão de crédito apresenta uma vantagem irresistível: o acúmulo de milhas em programas de fidelidade.

No entanto, há algumas desvantagens. A primeira é o IOF, 6,38% maior que a taxa cobrada por dinheiro em espécie. A segunda, caso utilize o cartão de crédito, é em relação ao período entre a data da compra e o vencimento da fatura.

Caso aconteça uma valorização da moeda estrangeira entre esses dias, o viajante pode acabar gastando mais do que o esperado. Isso porque o valor final só é definido no fechamento da fatura, e não no momento da compra. No entanto, com o cartão de débito, o valor do câmbio a ser pago é o do dia, e não um câmbio futuro.

Além disso, fique atento aos limites do cartão, pois podem ser baixos. Confira também a taxa de câmbio que é oferecida, pois ela pode ser mais em conta do que a dos cartões pré-pagos.

Por fim, lembre-se de que o cartão de crédito é a opção mais indicada para fazer reservas de hotéis, locação de veículos ou compras pela internet. Ambos podem ser usados em caso de emergências ou imprevistos durante a viagem para compras e saques.

Cartão pré-pago

Uma das vantagens dessa modalidade é a praticidade. Isso porque o cartão pré-pago pode ser utilizado como um cartão de débito, além de oferecer a possibilidade de efetuar saques em moeda estrangeira.

Além disso, com o cartão pré-pago, é possível fazer uma recarga pela internet e conferir o extrato online, realizar compras e ter a reposição em até 72 horas em caso de roubo, perda ou furto, sem que haja a perda dos valores creditados.

A desvantagem dessa forma de pagamento é o IOF, de 6,38%, o que a torna menos atraente que o dinheiro em espécie.

Certamente a melhor forma de pagamento em sua viagem para o exterior é contar com pelo menos 2 ou 3 das opções citadas. As modalidades apresentam prós e contra e ter o conhecimento de como elas funcionam é essencial para evitar problemas.

E então, gostou de saber mais sobre cada forma de pagamento em viagem internacional? Compartilhe o texto nas suas redes sociais para ajudar amigos e familiares que têm planos de viajar em breve!