Qual a melhor forma de levar dinheiro para viagem internacional?

Qual a melhor forma de levar dinheiro para viagem internacional?

Preparar uma viagem internacional vai muito além do arrumar as malas e elaborar um roteiro.

Existem diversas partes burocráticas bem chatinhas que precisam ser cuidadas, como a reserva de passagens e hotel, documentação de entrada no país e o câmbio.

Falando em câmbio, é preciso analisar ainda qual é a melhor maneira de trocar seu dinheiro e como levá-lo para sua viagem internacional. Pareceu complicado? Então confira o post de hoje e veja todas as dicas que preparamos para você!

3 melhores formas de levar dinheiro em sua viagem para o exterior

Cartão de crédito e débito

O brasileiro está verdadeiramente acostumado a usar o cartão para pagar suas contas, seja no crédito ou mesmo no débito. Mas lembre-se que, para fazer uma viagem internacional, é preciso habilitar seu cartão para usá-lo fora do país. Para isso, vá até sua agência e fale com seu gerente ou veja se essa configuração pode ser feita pelo caixa eletrônico, mesmo.

Apesar da facilidade, o cartão apresenta alguns pontos negativos. O primeiro é o famoso IOF, Imposto sobre Operações Financeiras, que hoje está em, aproximadamente, 6%. Depois, se você perder o cartão (ou em caso de roubo ou clonagem, por exemplo), pode ser complicado e demorado para ser ressarcido.

A versão débito pode ser mais interessante pois, assim, você compra com o câmbio do dia. No entanto, a taxa do IOF é ainda mais alta na função débito.

Cartão pré-pago

O cartão pré-pago tem o funcionamento similar aos tradicionais, no entanto são usados especificamente quando se faz uma viagem internacional. Oferecendo somente a função débito, eles também podem ser usados para fazer saques em caixas eletrônicos e recargas rápidas pela internet. Outra vantagem interessante é a possibilidade de carregá-lo em várias moedas diferentes, uma verdadeira mão na roda se a sua ideia é fazer uma viagem internacional passando por vários países.

Em contra partida, o IOF pesa, pois é bem mais alto do que o papel-moeda e, além disso, você será cobrado ao fazer saques ou se mantê-lo inativo por algum tempo.

Dinheiro na mão

Apesar de ser um pouco mais arriscado sair com um montante de dinheiro por aí, esta pode ser a opção mais vantajosa para quem vai fazer uma viagem internacional, afinal, neste caso, a taxa de IOF é a menor entre todas as opções. Além disso, tendo contato o tempo todo com o dinheiro, você acaba administrando melhor os seus gastos.

Mas então, qual opção escolher?

Como você pode ver, cada uma das alternativas apresenta vantagens e desvantagens bem pontuais. Logo, em uma viagem internacional, o mais interessante é contar com as três alternativas, especialmente em viagens longas. Caso uma delas dê problema, você ainda conta com outra e não corre o risco de ficar na mão.

A único cuidado a ser tomado é na hora de trocar seu dinheiro em espécie. Antes de tudo: jamais faça essa negociação na rua, pois você não sabe a origem e nem a procedência do dinheiro no mercado clandestino.

Depois, pesquise bastante o valor das cotações e não deixe para fazer a troca de última hora: você pode acabar perdendo dinheiro por conta do câmbio não favorável. Planejamento é a regra número um quando falamos em é viagem internacional.

Se você está planejando suas próximas férias, conheça o Bidollar e descubra como ele pode te ajudar a poupar dinheiro na hora de realizar o câmbio.

Bidollar Team – Siga-nos nas redes sociais! Compartilhe.

Nossa missão é desburocratizar o mercado de câmbio. Gostou do nosso post dá um like na página, comenta. Curta nossas redes sociais. 🙂 facebook.com/bidollarteam / twitter.com/bidollar_team / instagram.com/bidollar.io