Quais as diferenças entre o dólar novo e o antigo?

Quais as diferenças entre o dólar novo e o antigo?

Provavelmente, você já ouviu ou leu em algum lugar sobre dólar novo e antigo ou que os dólares americanos possuem moedas novas e velhas.

De fato, existem algumas diferenças entre as cédulas. E neste post vamos mostrar as distinções, além de tirar suas dúvidas com relação a esse tema. Confira abaixo:

Notas novas têm cores diferentes

Para dificultar a ação de falsificadores, em 2013, o Federal Reserve — Banco Central dos Estados Unidos — refez o estilo das notas, modernizando as cédulas e mudando inclusive suas cores, com detalhes em laranja. Esta foi a primeira mudança no padrão da moeda desde 1969.

É possível checar de forma simples se a nota é verdadeira ou falsa por meio de dois novos distintivos de segurança. O primeiro é a tarja azul em três dimensões, na parte frontal da nota, com imagens muito pequenas de sinos que, com o movimento, se transformam em números 100.

Já o segundo sinal é de um sino dentro de um tinteiro de cor cobre que se transforma em verde.

Notas de 100 dólares são as mais visadas

Uma das mais cobiçadas pelos falsários é a nota de US$ 100, que está entre as de maior circulação em todo o mundo. São mais de 8,9 bilhões de notas de US$ 100 disponíveis, com um valor de US$ 890 bilhões, sendo que algo entre a metade e dois terços está espalhada fora dos Estados Unidos.

No  ano de 1996, a nota de US$ 100 foi redesenhada e, à época, foi a primeira mudança significativa em 67 anos. Depois, também foram modificadas as notas de 50, 20, 10 e 5 dólares. Tudo isso com a finalidade de tornar as cédulas de dólares menos suscetíveis às falsificações.

Cédulas antigas ainda são aceitas

Mesmo com a mudança, o Fed deixou claro que as notas antigas continuam válidas. Por isso, se você estiver nos Estados Unidos, todas as notas de dólar são aceitas sem nenhum problema como forma de pagamento, mesmo se elas foram impressas em 1950 ou antes disso.

O problema pode acontecer com a utilização fora dos EUA. Cédulas que foram impressas antes de 1996, principalmente as de US$ 100, podem não ser aceitas com tanta facilidade.

Isso ocorre porque há um certo receio de as notas antigas serem falsas. E como não há a existência de documentos para provar a autenticidade da nota, muitos estabelecimentos evitam fazer transações. Para evitar esse tipo de problema, a recomendação é sempre carregar cédulas do país onde se estiver visitando.

A utilização de notas antigas de dólar ainda enfrenta desconfiança de alguns estabelecimentos. Isso acontece por conta da insegurança e receio de receber notas falsificadas. Mas, ainda assim, elas têm aceitação em muitos lugares. O ideal é sempre ter como comprovar a procedência da cédula, independentemente se ela for antiga ou nova.

E aí, o que achou do nosso texto sobre o dólar novo e antigo? Se você quer ler mais assuntos como esse, assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!