Mochilão na Europa: da cotação do euro às opções de hospedagem

Mochilão na Europa: da cotação do euro às opções de hospedagem

A palavra mochilão nunca esteve tão em alta, e não é por menos. Com a cotação do euro e do dólar mais alta, é preciso reavaliar todo o orçamento para a viagem e tentar economizar em tudo o que for possível.

É aí que entra o conceito mochilão, que prioriza hospedagens mais baratas, refeições feitas na própria cozinha do hotel ou do hostel e, por fim, atrações gratuitas ou mais baratas.

Planejando bem, o mochilão não perde em nada para uma viagem com o orçamento um pouco mais alto e, além disso, ainda tem um clima de aventura. Pensando isso, hoje trouxemos as melhores dicas para que você planeje seu mochilão pela Europa. Confira:

Como contornar a alta cotação do Euro?

#1. Comece buscando pelas melhores taxas

Este pode ser o início de seu planejamento, afinal, depois que você consegue encontrar um lugar mais em conta para trocar sua moeda, fica mais tranquilo para começar a pensar na parte mais divertida da viagem.

Também é importante começar a trocar seu dinheiro com bastante antecedência e ir fazendo isso aos poucos. Isso faz com que você tenha oportunidade de comprar a moeda nos dias que a cotação do euro estiver mais baixa, e evita ter que fazer a troca em cima da hora (pagando mais por isso).

#2. Troque o hotel pelo Hostel

Este já é um tipo de hospedagem queridinho por muitos viajantes ao redor do mundo. Na Europa, você encontra quartos por aproximadamente €15 em hostels cheio de estilo e personalidade.

O legal disso, além da economia, é compartilhar sua hospedagem com pessoas de todo o mundo e trocar informações diversas sobre a viagem. Isso sem contar o fato de fazer novos amigos de culturas completamente diferentes da sua.

#3. Planeje bem seu roteiro

Outra forma de combater a alta na cotação do euro é dar prioridade às atrações gratuitas. Claro, nós sabemos que muitas delas exigem o pagamento da entrada, mas tome cuidado para que não seja a maioria. Você pode até pensar que um ingresso que custa apenas €15 é barato, mas convertendo para o real, a brincadeira chega a quase R$50.

#4. Planeje, também, a alimentação durante a viagem

O mesmo vale para a hora das refeições. Fazendo a conversão da moeda, até um simples café da manha pode sair do orçamento. Por isso, a dica é ir até o supermercado e comprar tudo que for possível para fazer suas refeições no hostel ou mesmo na rua.

Em Paris, por exemplo, é comum ver turistas fazendo piquenique em frente à Torre Eiffel. Para tanto, uma garrafa de vinho, uma baguete e um queijo delicioso podem ser comprados em qualquer mercearia e degustados na grama mesmo.

#5. Evite o Taxi

Apesar de ser mais barato que no Brasil, andar o tempo todo de taxi pode comprometer o orçamento com a cotação do euro mais alta. Por isso, pesquise sobre as opções de locomoção em seu destino. Em algumas cidades, como Londres, por exemplo, você pode comprar um bilhete único diário, e andar durante 24h de metrô, quantas vezes quiser.

Já em Amsterdã, é possível locar uma bike e pedalar por toda a cidade: uma forma de locomoção saudável, sustentável e barata!

Planejando direitinho, há quem diga que é possível gastar aproximadamente R$150 por dia na Europa, mesmo com a cotação do euro mais alta. Vale muito a pena, não é mesmo?

E se você tiver alguma dica sobre mochilões pelo Velho Mundo, compartilhe com os outros leitores no campo dos comentários!