Horóscopo: Você acredita no seu horóscopo?

Horóscopo: Você acredita no seu horóscopo?

Quem não gostaria de acordar todo o dia com uma orientação perfeita de o que fazer e como fazer? Penso que todos nós gostaríamos. E uma das formas que é adotada no cotidiano para tentar chegar a esse objetivo, é o uso do horóscopo, ou seja, do signo, a partir do qual é possível obter dicas para se dar bem no dia a dia.

Mas por se tratar de um meio de caráter “milagroso”, a pergunta “o horóscopo funciona?” não poderia faltar de jeito nenhum por parte das pessoas que usam ou ainda estão entre o usar ou não o horóscopo no seu dia a dia.

E por este ser um assunto que mereceu de vários estudos durante milênios, deparamo-nos logo com um grande número de tópicos complexos relacionados ao horóscopo, fato que faz com que responder a pergunta anterior de forma definitiva com um simples “sim” ou “não”, sem que haja qualquer reflexão previa, torne-se uma completa falta de consideração e preocupação em responder de forma acertada essa pergunta.

Por isso, para não correr o risco de a resposta a nossa pergunta ser errada, primeiramente é preciso avaliar alguns aspetos secundários que irão fundamentar a resposta final.

Um pouquinho de história

Na antiguidade, vários povos costumavam a observar o céu, buscando correlações entre os eventos celestiais e terrestres. E foi justamente a partir destas observações dos movimentos dos astros e estrelas que foram feitas descobertas tais como as estações do ano, o calendário, o tamanho da terra, entre outras descobertas que hoje são bastante úteis.

E foi em meio a tantas expedições em busca de respostas nos eventos celestes que os mesopotâmicos começaram a ter fé no fato de que os astros poderiam também anunciar o tempo em que ocorreriam determinados eventos na terra, vinculados a vida do ser humano.

Então, foi a partir daí que começaram as análises baseadas em experimentações e registro da posição que os astros tomavam em detrimento de algum acontecimento, de modo a conseguir prever alguns eventos tais como o início ou o fim de uma guerra e o nascimento ou morte dos reis.

Por isso, no início o horóscopo era uma ferramenta usada apenas pelos reis, e só depós de alguns anos o horóscopo passou a ser comercializado. E foi no século XVIII que a ferramenta passou a ser popularizada pelos jornais britânicos, os quais levavam este conhecimento para o cotidiano de todos as classes sociais.

“Comece a entender se o horóscopo realmente funciona, seguindo o raciocínio em volta do conjunto de perguntas secundarias que irão conduzir nós a verdade, já a seguir”

#1 Primeiro, será que existe realmente alguma relação entre os movimentos celestes e os terrestres?

A vida terrestre comprova que sim, existem alguns fenômenos que estão de alguma forma ligados aos eventos celestes, tais como a determinação do tempo ideal para o desenvolvimento agrícola, o nascimento dos bebes, a menstruacão feminina, etc.

Sem falar que até os dias atuais há fatos que são descobertos que comprovam a existência de tal relação, como é o caso da paridade entre o tempo das conjunções planetárias e de algumas reações químicas com metais em estado coloquial.

#2 Se há realmente uma relação, é possível tirar proveito disso?

Segundo o estudioso do século XIII, São Tomás de Aquino, todos os fenômenos que afetam de algum modo o organismo do ser humano, e consequentemente modificam a conduta dos seres humanos, devem ser estudados.

Então, seguindo a linha de pensamento anterior, há sim muito que pode se aproveitar do estudo da relação entre os eventos celestes e terrestres, pois estes englobam de certa forma fenômenos que estão ligados a vida humana.

Mas que proveito pode-se tirar de tal conhecimento?

O proveito mais logico, é justamente a obtenção de uma espécie de “guia” para o ser humano, o que pode ser feito a partir do agrupamento de signos recorrendo a astrologia.

#3 Levando em conta que a pergunta 2 tem como resposta “sim”, então, será que pode existir dados que possibilitem o estudo desta relação?

Na antiguidade já havia cientistas que estudavam os efeitos psicológicos de fenômenos geofísicos, como é o caso do cientista alemão Will Helpach, o qual estudou profundamente o assunto, e com o uso dos seus estudos seria muito bem possível levar as análises deste para o âmbito astrológico das coisas, pois há uma grande relação dos estudos de Helpach com a astrologia.

#4 Considerando isso, será que astrologia como ciência estuda esta relação em seu vasto universo temático? 

Seria temerário dizer que a astrologia é uma ciência que abrange na sua generalização aspectos relacionados a relação entre a movimentação dos astros e os caráteres comportamentais humanos. Mas também seria um erro estupendo negar a astrologia o estudo desta relação que pode conter conhecimentos verdadeiros.

Por isso, por mais que não seja enquadrado no âmbito de ciência, a cosmovisão astrológica é extremamente necessária e útil em si mesma independentemente do seu valor ou falta de valor como “ciência”, pois por estar presente em todas áreas da criatividade humana, o seu estudo por parte daqueles que estudam as “ciências humanas”, a filosofia, etc. é inegável.

Finalizando…

Partido das perguntas e respostas que fizemos anteriormente pode-se sim dizer que a astrologia funciona, mas tome muito cuidado com os horóscopos dos jornais e revistas, porque estes não são compostos por previsões exatas, uma vez que o mesmo tem como base os caracteres comuns de um grupo de pessoas, fato que torna as previsões não exatas.

Por isso, o aconselhável é não seguir estas previsões ao pé da letra do que está escrito.