5 erros que você não pode cometer na hora de comprar moeda estrangeira

5 erros que você não pode cometer na hora de comprar moeda estrangeira

Para a maioria das pessoas, comprar moeda estrangeira é sempre o grande problema das viagens.

Não se sabe se deve trocar no Brasil, trocar por rolar, deixar para trocar no destino, trocar por euros…São muitas as dúvidas.

Em algumas situações, as pessoas podem cometer equívocos ao realizarem esse tramite, por falta de experiência e pouca pesquisa.

Mas comprar moeda estrangeira é parte essencial de seu planejamento de viagem, e deve ser feito de maneira cuidadosa.

Será esse valor que te dará autonomia para aproveitar a viagem, e será baseando-se nisso que você conseguirá organizar os seus passeios e roteiros.

Então, você deverá dedicar tempo antecipadamente para entender os trâmites de câmbio, entender a moeda local do país que você vai e saber qual a melhor opção de troca para sua viagem.

Mas, além de saber exatamente o que fazer, você também saber o que não fazer quando for comprar moeda estrangeira.

E é sobre isso mesmo que trataremos nesses artigos.

Vamos lhes dizer os 5 erros que você não deve cometer ao cambiar.

Sabemos que dinheiro é coisa séria, e mesmo nas férias, ele precisa ser tratado com devida seriedade. Então, acompanhe nossas dicas, faça seus cálculos, e viaje com segurança. 

Trocando sem segredo: como comprar moeda estrangeira 

É natural que a maioria dos brasileiros tenha duvidas no momento da troca de reais por outras moedas.

Não é um hábito da maioria das pessoas acompanhar o mercado de valores de dinheiro estrangeiro.

Mas, quando agendam uma viagem ao exterior, essas pessoas se vêm em uma grande questão: como comprar moeda estrangeira?

Então, acompanhe abaixo os cinco erros mais cometidos por brasileiros ao comprar moeda estrangeira, e descubra como não fazer igual.

  1. Não pesquisar:

O erro número 1 é com certeza não realizar as devidas pesquisas. Brasileiros que não compram moedas com frequência acabam por fazer isso na primeira casa de câmbio que encontram.

Nas as casas de câmbio tem valores diferentes. As vezes coisa de centavos, mas em montante isso será uma grande diferença.

Então pesquise muito, compare os preços, e compre naquelas que lhe renderá maior vantagem financeira.

  1. Grandes quantidades:

Muitos Brasileiros trocam TODO o dinheiro que vão precisar para todo o período de viagem. Acontece que ele acaba não usando tudo, passa alguma coisa ou outra no cartão e volta cheio de dinheiro estrangeiro no bolso.

Resultado disso? Perda 2 vezes. Você pagou para trocar reais pela moeda local, e vai perder mais trocando a moeda local por reais novamente.

Então, nãos faça isso. Troque em quantidades médias, se precisar, vá novamente a casa de cambio. Mas tenha certeza de que você não voltará ao Brasil cheio de moedas gringas.

Além do que, passear cheio de dinheiro vivo não é seguro nem aqui nem na China, literalmente. Então opte pelo cartão de crédito quando der.

  1. Comprar no dia da viagem:

A melhor coisa que você pode fazer é ir comprando o dinheiro aos poucos, e acumulando em um cofrinho.

Dessa maneira, você poderá ver a diferença da cotação, e não perderá tudo em um dia ruim de valores.

Quando vir um dia em que a moeda bateu recorde de baixo valor, troque mais para aproveitar. Mas lembre-se: não se empolgue.

Acompanhe diariamente a cotação. Você vai conseguir preços ótimos fazendo isso.

  1. Não conferir o valor e as condições das notas:

Dica básica de vida adulta: sempre confira o seu dinheiro. Faça isso dentro da casa de cambio. Confira o valor na frente do guichê para conseguir avisar qualquer problema.

Eles não vão te levar a sério se sair de lá e retornar para reclamar.

E, principalmente, veja a situação das notas. Muita gente troca dinheiro em casa de câmbio, e você pode acabar por receber uma nota danificada a ponto de ser inutilizada.

Olhe, confira, e saia com a certeza de que o seu dinheiro vale alguma coisa.

  1. Não entender os valores de câmbio:

A menos que você viaje com um nativo ou um amigo residente no país de destino, você precisará entender todas as questões de conversão.

Entenda como calcular do real para a outra moeda e da moeda estrangeira para o real. Perceba se é melhor trocar por dólares antes de cambiar pra moeda do país.

Pesquise muito, e tire suas dúvidas. Você não precisa ser ume expert no assunto, mas precisa dominar um pouco.

Assim sentirá mais autonomia para trocar, e não correrá o risco de perder dinheiro no câmbio.

Voltei de viagem com dinheiro estrangeiro. E agora? 

Mostramos o que não fazer para não perder dinheiro, mas é importante algumas outras coisas.

Se mesmo calculando pontualmente os seus gastos você conseguiu ser mais econômico do que pretendia (oba!), e voltou para casa com dinheiro estrangeiro, o que deve fazer?

A primeira coisa a pensar é: você pretende voltar para esse lugar?

Se sim, e a quantidade não for exorbitante, compensa guardar o dinheiro em casa. Você poderá usar para um táxi, pequenos gastos com alimentação e transporte numa outra oportunidade.

Ou ainda, trocar com amigos quando eles viajarem para lá pelo valor mais justo do dia.

Agora, se não há nenhuma possibilidade de voltar ao país do qual trouxe as moedas, e se definitivamente ninguém que você conhece vai para lá, você deve trocar nas casas.

Lembre-se que as casas de câmbio e bancos não trocam moedas, apenas cédulas.

Então tente usar todos os seus trocos “pequenos” no país. Não se envergonhe em contar as moedinhas para pagar o café da manhã. Livre-se delas.

O dinheiro em cédula poderá ser trocado, desde que esteja em bom estado e para algumas moedas existe um valor mínimo também. Então preste muita atenção a esses detalhes para não ficar com dinheiro encalhado.

Analise também a possibilidade ou não de valorização do real com relação a essa moeda, e a partir das previsões de especialistas, defina se vale a pena segurar o dinheiro mais um pouco e fazer a troca daqui um tempo.

Por questão de meses ou semanas você poderá ter uma perda menor na troca.

Se você viajou com cartão de crédito pré pago, deverá consultar com a administradora do cartão quais são os prazos para troca do dinheiro.

Não é tão preocupante quanto montantes em moedas, mas verifique as cláusulas de seu contrato.

Alguns cartões podem ter taxas a serem cobradas por inatividade. Ou seja, enquanto o seu cartão pré-pago fica guardado na gaveta sem uso, você pode ser cobrado.

Isso também estará descrito na cláusula assinada por você, então somente a leitura e compreensão total dos termos te fará mais seguro para escolher o que fazer.

As cédulas de algumas moedas também passam por atualizações de segurança contra falsificação. Então, ainda que você pretenda viajar de volta para o país, deve acompanhar para que a versão do seu dinheiro não caia em desuso.

A melhor opção ainda é tentar negociar esse dinheiro com amigos que estão a caminho do país.

Assim vocês se ajudam e ambos não saem no prejuízo maior.

Para grandes quantidades (15 ou 20 mil, por exemplo) que ficam paradas em gavetas, poderá ser exigido um comprovante sobre a aquisição quando você decidir trocar. E achar isso depois de meses é mais difícil.

Pronto. Agora você está preparado para comprar moeda estrangeira e aproveitar a sua viagem.